27 de Fevereiro de 2022 - Rodrigo Cézar Limeira - (2326 acessos) Comentário

Perspectiva é de muita irregularidade na distribuição das chuvas do Semiárido da Paraíba em março, abril e maio de 2022

As condições oceânicas observadas desde o início de fevereiro, com o oceano Atlântico Norte mais quente que o Atlântico Sul na altura da costa leste do nordeste, é favorável a um cenário de grande má distribuição tanto espacial quanto temporal das chuvas no Cariri, Sertão e Altossertão da Paraíba, isso porque essa configuração oceânica posiciona a Zona de Convergência Intertropical ao norte de sua climatologia durante a quadra chuvosa da região, com isso o transporte de umidade do Atlântico Sul em direção ao Semiárido do setor norte do nordeste é abaixo do normal, algo que poderá indicar chuvas além de mal distribuídas, a exemplo do que ocorreu no período chuvoso de 2021 na região, caindo numa quantidade variando de normal a abaixo da média. O fato é que mesmo com a La Niña ativa na região central do Pacífico Equatorial, a mencionada configuração oceânica apresentada anteriormente, pode indicar um ano inclusive com pouca recarga hídrica para maioria dos grandes reservatórios que abastecem cidades do semiárido da Paraíba, pontua o físico Rodrigo Cézar Limeira.

 

 Imagem de WikimediaImages por Pixabay 

 

Portal Ciência em Foco

Social:

8 de Dezembro de 2022

Publicidade

Visitas até o momento